BayG.A.P apoia produtores a cumprir legislação de rastreabilidade e boas práticas agrícolas em hortifruti

Com 10 módulos de ensino presencial, o treinamento da BayG.A.P é indicado para produtores de frutas, verduras e legumes e pode ser resgatado por pontos na Rede AgroServices


Os produtores de frutas, verduras e legumes, centrais de abastecimento e supermercados estão diante de um grande desafio. Desde agosto de 2018 está em vigor a nova norma que torna obrigatória a rastreabilidade na cadeia, com um cronograma de implementações para três grupos de culturas e prazo final para adequações até fevereiro de 2020. Os agricultores que não cumprirem a rastreabilidade ficam sujeitos ao pagamento de multas e podem perder mercados.

Diante de tal cenário, capacitação é fundamental para ficar em conformidade com a legislação, cumprindo os requisitos da Instrução Normativa Conjunta INC nº 2, que foi criada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A boa notícia é que os produtores podem contar com a ajuda da Bayer para cumprir a missão de rastrear a produção agrícola, participando do treinamento BayG.A.P.

 

Treinamento BayG.A.P

O BayG.A.P é um treinamento que pode ser resgatado por pontos na Rede AgroServices (confira a oferta aqui). É realizado em três dias, com 10 módulos de ensino, e ministrado por uma equipe de consultores parceiros da Rede AgroServices. O curso aborda técnicas para a aplicação segura de insumos, manejo integrado de pragas, gestão da água da irrigação, segurança dos alimentos, proteção de cultivos, entre outros temas. O treinamento também inclui uma visita técnica em uma propriedade rural para conferir a aplicação destes temas na prática.

Os parceiros da Rede AgroServices que ministrarão o BayG.A.P foram capacitados exclusivamente para o programa e construíram uma proposta de treinamento aderente às condições do Brasil. “O BayG.A.P é um programa baseado nas normas do GlobalGAP, mas a Bayer adaptou para a realidade brasileira”, diz Janaína Marianno de Marque, engenheira agrônoma e fitopatologista do laboratório Atena, de Atibaia (SP), e que faz parte da equipe de capacitadores do BayG.A.P. “A ferramenta serve para ensinar a adotar boas práticas agrícolas. Isso tem várias consequências interessantes para o produtor e depois ele também pode conseguir a certificação internacional GobalG.A.P.”

 

Qualidade, sustentabilidade e segurança do alimento

De acordo com a engenheira agrônoma, a rastreabilidade visa trazer mais transparência na produção dos alimentos e garantir uma produção segura e sustentável. “A rastreabilidade é uma consequência do programa de boas práticas, porque significa conseguir contar a história do produto”, afirma Janaína. “O apelo pela produção de um alimento saudável e sustentável é enorme, o consumidor está exigindo isso”, diz Janaína. Com a rastreabilidade, a tendência é trazer mais transparência na cadeia de produção.

Para atingir a meta, o produtor precisa profissionalizar o negócio, administrar melhor os seus recursos e buscar maior eficiência nas aplicações de insumos. Para tanto, uma das principais recomendações do BayG.A.P é o uso do caderno de campo (veja serviço do caderno de campo eletrônico aqui), para que o agricultor possa registrar todas as suas operações agrícolas e rastrear a produção. “A rastreabilidade é uma ferramenta de gestão, que traz segurança jurídica. O produtor vai utilizar os insumos no momento certo e economizar. Profissionalizar esse setor vai ser bom para todo mundo”, opina Janaína.

 

O conteúdo

De acordo com a especialista, um dos principais módulos enfatizados pelo BayG.A.P é o de Manejo Integrado de Pragas, uma questão essencial para implementar melhorias na fazenda. “Ensinamos o produtor a monitorar pragas corretamente para que ele não precise usar uma ferramenta inadequada para a cultura. Através do manejo integrado, ele encontra soluções e consegue ter opções de manejo integrado”, conta Janaína.

Outro destaque é a conscientização do produtor sobre o uso de insumos dentro da legalidade, especialmente para culturas como a goiaba e folhosas como o alface, que não contam com grande oferta de defensivos no mercado. “Orientamos para que o produtor só use produtos com registro para a cultura conforme a legislação”, afirma Janaína. Ela conta que na região de Atibaia (SP) propriedades rurais passaram por processo de fiscalização em rastreabilidade e já há relatos de produtores que foram multados. Por isso, é importante que o produtor busque se capacitar para cumprir a nova legislação e não seja pego desprevenido.

 

Iniciativa global

O BayG.A.P é uma iniciativa global da Bayer em prol das boas práticas agrícolas, que já está presente em 19 países e já capacitou centenas de produtores no mundo. “É um programa focado no treinamento que apoia produtores na implementação de boas práticas agrícolas especialmente para alcançar a certificação de boas práticas”, afirma Cristiane Lourenço, Gerente global de relacionamento com a cadeia de alimentos da Bayer para América Latina.

Segundo ela, no Brasil o BayG.A.P visa auxiliar os produtores de hortifruti porque esse setor ainda carece de capacitação. “O desafio da rastreabilidade vai englobar 100% das culturas de frutas e vegetais. Há dois anos começou esse movimento de rastreabilidade, o produtor precisa implementar o processo dentro da fazenda e ter uma rastreabilidade com etiquetas nos produtos”, afirma a gerente. Além de ajudar o produtor a respeitar a nova legislação, o treinamento também pode abrir caminhos para a certificação e novos mercados. “Só 3% da produção brasileira de frutas e vegetais são exportadas, 97% do que é produzido fica no mercado interno. A certificação Global G.A.P é obrigatória para quem exporta mas o mercado interno também começa exigir essa comprovação como a certificação LocalG.A.P baseada na GlobalMarkets que vem sendo trabalhada pelos supermercados brasileiros, responsáveis hoje por mais de 60% da comercialização de hortifrúti no país”, diz a gerente.

O treinamento presencial BayG.A.P pode ser resgatado por pontos na Rede AgroServices. No entanto, os produtores de frutas e vegetais que não possuem pontos acumulados também podem se beneficiar da iniciativa e iniciar os estudos de forma online a partir de agosto. A Bayer, em parceria com o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) e a Associação Brasileira de Supermercados (Abras), lançará um curso online gratuito com duração de 7 módulos, que será uma versão resumida dos módulos do BayG.A.P. A partir de agosto, os produtores inscritos poderão acessar videoaulas e estudar por conta própria pela internet. “Uma ótima oportunidade para os produtores capacitarem todos os seus colaboradores dentro das fazendas”, finaliza a gerente.


Conheça os módulos do treinamento BayG.A.P

1 - Histórico e gerenciamento do local

2 - Manejo Integrado de Pragas

3 - Sistema de irrigação

4 - Segurança do alimento

5 - Gestão de resíduos

6 - Uso seguro

7 - Produtos de proteção de cultivos

8 - Tecnologia de aplicação

9 - Rastreabilidade e documentação

10 - Soluções integradas de manejo

Lançamento BayG.A.P. Brasil

A Bayer traz ao Brasil um programa que já é sucesso em 18 países e em 12 idiomas diferentes: O BayG.A.P! Um treinamento para aconselhar e apoiar os produtores no processo de adequação das boas práticas agrícolas.

Compartilhe!

COPYRIGHT © REDE AGRO S.A - Última atualização: 09/10/2019 (1.0.19412)